Sistema Integrado Pátio-Porto na Cadeia do Minério de Ferro Utilizando Simulação

Nome: Marisa Matedi Alves
Tipo: Dissertação de mestrado acadêmico
Data de publicação: 18/12/2019
Orientador:

Nomeordem crescente Papel
Helder Roberto de Oliveira Rocha Orientador

Banca:

Nomeordem crescente Papel
Marta Monteiro da Costa Cruz Examinador Externo
Jussara Farias Fardin Examinador Interno
Jose Leandro Félix Salles Examinador Externo
Helder Roberto de Oliveira Rocha Orientador

Resumo: A indústria de mineração brasileira tem grande importância para a economia do
país, sendo responsável por grande parte das exportações e pela geração de empregos. Com as mudanças ocorridas no cenário econômico mundial e crises que afetaram o Brasil, cresce a necessidade de utilização de tecnologias para guiar o planejamento e direcionar os investimentos em melhorias, de modo que as empresas possam aumentar a produtividade e eficiência e se tornarem mais competitivas. Desta forma, foi proposto desenvolver um modelo de simulação de eventos discretos de um sistema integrado pátio-porto, simplificado, com o objetivo de auxiliar nas análises de distribuição de
lotes carregados de minério de ferro e pelota em pátio de estocagem e na atracação e carregamento de navios em nível tático, visando mostrar uma forma construtiva do projeto de modelagem, através de um passo-a-passo na criação de blocos para a implementação de simuladores. O simulador trata do transporte de minério de ferro desde a mina, passando pelos viradores de vagão, pátio de estocagem e porto, acrescentando as pelotas advindas das usinas, focando no empilhamento, no estoque, na recuperação e no carregamento dos produtos em navios nos berços. Foi utilizado o software Arena para a implementação do modelo de simulação, no qual foi possível
analisar a ocupação dos pátios, avaliar a ocupação dos recursos disponíveis (viradores de vagão, usinas, empilhadeiras, recuperadoras, empilhadeiras/recuperadoras e carregadores de navios), levantar dados de filas e de número de navios, avaliar o carregamento dos navios e levantar o giro de estoque. O modelo desenvolvido considerou dados baseados em valores reais, para um tempo de simulação de 120 dias, cinco replicações, quatro cenários, que se diferenciam, basicamente, quanto à frequência de chegada dos tipos de navios (panamax, capesize e valemax) e as regras de atracação nos berços. Os resultados mostraram uma ocupação dos viradores de 53%, ocupação de
pátio e usinas em torno de 80% e um giro de estoque, para cada cenário, em torno de 3,4 vezes. Além disso, diferentes estratégias de carregamento de navio são propostas com objetivo de aumentar a eficiência operacional no volume embarcado, na fila de navios e outros para o sistema pátio-porto.

Acesso ao documento

Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Fernando Ferrari, 514 - Goiabeiras, Vitória - ES | CEP 29075-910